segunda-feira, 19 de dezembro de 2011


Receber sem trabalhar. Você gostaria, não? Pois saiba que dos 81 senadores da República somente oito compareceram ao Senado nesta segunda. O pior é que o fato já se repetiu nas últimas quinta e sexta-feira. Mas não se preocupe, pois eles não vão deixar de receber o equivalente a R$ 890, 00 relativos ao dia "trabalhado".
Segundo o senador Álvaro Dias (PR), muitos políticos faltaram à sessão por terem compromissos em seus estados. Ainda segundo ele, o eleitor não tem que se preocupar com um fato tão pequeno como este.
Grifo meu: Uma VERGONHA que um senador da República falte ao trabalho e ainda embolse o salário do dia. Pode parecer um fato insignificante para alguns, mas o fato é que milhões e milhões de brasileiros têm que trabalhar o mês inteiro e ainda não chegam a receber esse valor. Quando faltam, por motivo de doença, se não apresentarem atestado médico, perdem o dia e ainda têm outras sanções. 
Ó povo brasileiro, onde estás que não aprende?

Pesquisa coloca Governo de Anastasia onde nunca esteve


Estado. O governador Antonio Anastasia (PSDB) tem seu desempenho avaliado como muito bom por 3,8% dos entrevistados. Outros 49,4% o classificam como bom. Consideram a administração estadual regular positiva 21,1% dos interrogados. Somadas as três classificações, o governo de Antonio Anastasia é bem avaliado por 74,3% dos entrevistados DataTempo/CP2.
Classificam o desempenho do governador como regular negativo 6,6%. Outros 6,7% dos pesquisados o consideram ruim. Somente 4,7% dizem que o governo estadual é muito ruim.
Quando a pergunta é feita de uma forma mais direta: você aprova ou desaprova a administração do governador Antonio Anastasia, a resposta obtida é muito semelhante ao percentual da avaliação positiva da gestão (74,3%). Respondem que a aprovam 69,8% dos pesquisados e dizem que não aprovam outros 20%.
A atração de empregos e a manutenção das estradas estaduais são apontadas como os setores em que o governo estadual consegue melhor atuação.
Questionados sobre as áreas em que o governo tem pior atuação, a maioria da população (54,1%) afirma que é o atendimento à saúde. Para outros 19,2%, o governo deixa a desejar na educação pública. Na opinião de 8,8% dos entrevistados, a segurança pública é o setor com pior desempenho do governo estadual. O meio ambiente também é indicado pelos entrevistados como uma área em que a atuação do governo é fraca.

DataTempo/CP2
Dados.
 Foram realizadas 900 entrevistas entre 10 e 15 de dezembro com eleitores de diversas faixas de escolaridade, renda e idade em todas as regiões da capital. A margem de erro é de 3,27 pontos percentuais.
Comentário:
Ha... ha... ha... Aquela piadinha antiga do velhinho agonizando no hospital (ano velho em véspera de ano novo) me faria rir mais. Quem participou desta pesquisa?
- aqueles que andam em carrões luxuosos ou os tomadores de coletivos que sofreram e continuam sofrendo com as péssimas condições de transporte?
- aqueles que moram em luxuosas mansões ou os que estão sofrendo com os efeitos da chuva que anastasia tenta minimizar?
- aqueles que têm seus filhos em escolas particulares ou os que os mantêm nas escolas públicas e que sentiram e continuam a sentir os efeitos da greve e da falta de recursos?
- aqueles que frequentam clínicas e médicos particulares ou aqueles que adoecem mais ao ter de enfrentar a falta de médicos nos hospitais?
- aqueles que só viajam de helicóptero ou avião ou os coitados que têm de arriscar as vidas nas estradas esburacadas?
- aqueles que já têm planos para 2012 ou os massacrados professores que tiveram seus direitos surrupiados por anastasia e sua trupe?
Papel aceita tudo, sobretudo se for em troca de outro tipo de papel. Vão procurar saber a quantas anda o povo, aquele que trabalha duramente e paga seus impostos em dia para manter no poder pessoas que se acham acima do céu e da terra. Vão entrevistar as pessoas que estão perdendo suas casas com as chuvas, os doentes nas filas ou corredores dos hospitais, os motoristas que enfrentam os buracos nas pistas, os alunos que estão nas salas de aulas abarrotadas. Vão saber que nota eles vão dar a este governo do faz-de-conta.
Rogério Trindade

CORDEL: SUJEITOS DE UM TRÂNSITO MELHOR


Boa tarde, meus amigos,
Um  pouquinho de sua atenção.
Estamos aqui pra falar,
Conscientizar: nossa missão.
Transitamos todos juntos
É preciso comunicação.

Faz parte do dia-a-dia
Entender placas e sinais.
Pra andar com segurança,
No trânsito é preciso mais:
Educação, no campo,
Ou na cidade, tanto faz.

Cada um à sua maneira
Somos do trânsito sujeitos.
Cada um é responsável,
Ao outro devemos respeito.
É preciso consciência,
Não tem mesmo outro jeito.

Preste atenção nas dicas
Repassadas por crianças:
Um trânsito sem acidentes
É a nossa esperança.
É um direito de todos
Ir e vir com segurança.

MOTORISTA:
Quem vai atrás do volante
De carro, ônibus ou caminhão,
É o amigo motorista.
Deve andar com atenção:
Levando produtos ou pessoas,
Muitas vidas em suas mãos.

Respeitar a sinalização
E os limites de velocidade
Ajuda a manter a sua
E a do outro a integridade.
Dirija com prudência,
De olho nas adversidades.

Se for dirigir, não beba,
Você já cansou de ouvir.
A “Lei Seca” já ajudou
Mas vamos repetir:
Com a bebida, a direção
Você não deve dividir.

Se o seu carro é do ano
Ou um outro mais possante
Nem por isso, nem de longe,
Mais que o outro é importante.
Respeite os pedestres
Não faça arma do volante.

MOTOCICLISTA:
Outro sujeito do trânsito
É o amigo motociclista.
A vida em duas rodas,
Por si só já é equilibrista,
Não precisa arriscar a vida
Em manobras exibicionistas.

Não abra mão do capacete,
Por lazer ou profissão,
Calçados e roupas adequados
Não reduzem a emoção.
Se é  triciclo ou moto
Segurança não é em vão.

Trafegue de farol aceso
Pra por todos ser bem visto.
Sentado ou montado,
Cuidado com os imprevistos.
Respeite as leis de trânsito
Desculpe, se tanto insisto.

Cuidado, também amigo
Com o que vai ao bagageiro.
Teu veículo é admirado
Por ser muito ligeiro,
Mas cuidado redobrado
Se atrás vai passageiro.

CICLISTA:
A famosa bicicleta
É o veículo do ciclista.
Sem motor e menos veloz
Vai à direita da pista:
Pode ser muito perigosa
A manobra do motorista.

Pra evitar acidentes
Explore a iluminação:
Placas e faixas refletivas
Facilitam sua visão.
Não conte só com a sorte,
Evite a escuridão.

Pedalar pelas calçadas
É proibido e perigoso.
Cuidado com as garagens,
A criança, o adulto e o idoso.
Pedalar é muito bom,
Com segurança é mais gostoso!

Não exagere nas manobras
Ou pode se dar muito mal.
Procure lugares adequados
Se o esporte é radical.
Nada de carona em veículos:
Já está cheio o hospital.

PEDESTRE:
Mas respeitar o trânsito
Não é somente obrigação
De quem anda sobre rodas:
É de todo cidadão,
Até do amigo pedestre
Com pés firmes no chão.

Ao descer de seu ônibus,
Aguarde sempre na calçada.
Não atravesse pela frente,
Vá pra faixa demarcada.
Não arrisque sua vida
Mesmo quando atrasado.

Se quer chegar mais rápido
Atravesse em linha reta.
Cuidado com as esquinas,
Olhos abertos, fique esperto:
Olhe para os dois lados,
Só avance na hora certa.
Colabore você também
Para um trânsito melhor:
Cuide da limpeza das vias,
Não jogue lixo que é pior.
Zele sempre pela vida
Que é nosso bem maior.

POLICIAL DE TRÂNSITO:
Já o amigo policial
A ordem vem garantir.
Sobre as leis de trânsito
Ele ajuda a refletir.
Quem cumpre sua parte
Não vai precisar punir.

Muita gente não entende:
Acha que só quer multar.
Sua presença é tranqüilidade,
Está ali pra orientar.
Mas, para nos proteger,
Também tem que fiscalizar.

Ele zela pela ordem,
Quer a nossa segurança.
Na cidade ou na estrada,
Por onde o Brasil avança,
Tem sempre pra apoiar
Um policial de confiança.

De casa para o trabalho
Ou de volta pro aconchego
É o guarda de trânsito
Que ensina o desapego
Aos bens materiais:
Pela vida mais chamego.

TODOS:
É isso aí, meus amigos,
É sua também a missão
De levar a todo lugar
Essa conscientização:
Para um trânsito melhor
É necessário a união.
Rogério Trindade (2011 - Projeto Sujeitos de um Trânsito Melhor)




Cordel: O encontro


Meu amigo, confesso:
Sou sonhador, sim senhor!
Um de meus sonhos
Peço que ouça, por favor!
Mas se seu tempo tá curto,
O cordel a fala encurta
Mas aumenta meu clamor.

Foi numa noite de calor
Que tal sonho aconteceu.
Não riam, apenas ouçam
O fato que  aí sucedeu:
Num encontro inusitado,
Parecendo marcado
Vejam quem apareceu.

Terra, Flora, Fauna, Água,
Ar: tudo energizado,
Pessoas quase, e nós:
Eu, e ali do meu lado,
Idoso, mulher e criança.
Até me veio à lembrança
Um desenho animado.

A Água rompeu o silêncio
Que já julgava mortal:
__Pra quê estamos aqui?
Parece até o juízo final!
A Terra, já esquentada,
Disse não saber de nada
Mas que não era bom sinal.

Ainda paralisado,
Vi Flora, Fauna e Ar
Afirmarem nada saber.
Aí então tentei falar,
Mas fui  interrompido,
Soou como estampido
A voz que rasgou o ar.

__ Eu os trouxe aqui.
Disse a voz potente
Que era pura energia.
O susto era evidente
Diante do ser invisível.
Tudo era mesmo incrível
Não podia ser diferente.
__ Sou a Vida. __ disse.
Vamos discutir meu futuro
Sem acusar ninguém.
Me acusam de ser dura,
Muitos não me dão valor
Mas não falo com rancor.
Pra falar, tens abertura.

Formamos uma rede.
Estamos interligados
Não trago novidade.
Não fiquem aí parados,
Digam então: que fazer
Pra eu não perecer
Neste planeta habitado.

Então, resolveu falar
A verde e bela Flora,
Aprovada pelos demais,
Que disse: __Já é hora
De valorizar mais a Vida
Nesta Terra tão sofrida
Hoje mais que outrora.

Eu represento o verde
Belas matas e florestas
Que renovam nosso ar
Onde é motivo de festa
Cada nascente que brota.
Nossas folhas são portas
Pra luz que o Sol empresta.

Abrigo a diversidade,
Vossas  plantas e animais.
__ E eu, minha amiga?
Não posso esperar mais!__
Interrompeu a Terra.
Desmatamento e guerra
Vamos tirar dos jornais.

Coberta pelo verde,
Sou um filtro natural
E alimento os mananciais.
E pode todo o meu potencial
Findar a fome no mundo.
Riquezas me vêm do fundo:
Água, mineral ou vegetal.

Aí foi a vez da Água,
Que se encontrava calada,
Falar:__Quanto a mim
Sou também apreciada:
Normal, gelada ou quente,
Vegetal, animal ou gente
Têm a vida preservada.

__Meu ciclo __ continuou,
Motivo de preocupação
Mantém a vida no planeta.
__Por falar em vida, atenção.
Também não posso faltar.
Disse orgulhoso o ar.
__ Oxigênio dou de montão.

A Fauna, por obrigação,
Também se pôs a falar:
__Represento os animais
Da terra, da água e do ar.
Pra muitos, somos alimento,
Pra natureza, ornamento,
A vida a se preservar.

__Muito bem!__disse a Vida.
Reinos animal, vegetal
E mineral já opinaram.
E o animal dito racional,
Da infância ao envelhecer,
O que tem a oferecer
Pra que eu não me dê mal?

Aí, achei por bem
Falar logo sem rodeios:
__Somos responsáveis
Pelo que acontece ao meio.
Vamos repensar atitudes
Pra vida em sua magnitude
Ter o amor como recheio.

Podemos cuidar melhor
Da Terra, nosso bem maior.
Crescer com equilíbrio
Reduzir gastos, usar melhor
O que de graça recebemos
E sempre nos lembremos:
No mundo, ninguém está só.

Tomado de forte emoção,
De continuar fui incapaz
Assumiu a voz o senhor:
__ Se cada um for capaz
De pensar no próximo
Imagine só que máximo:
Menos preconceito, mais paz!

__ Acabar com o abismo
Chamado de indiferença
Entre ricos e pobres.
Tecnologia e inteligência
Sempre a favor da vida.
A ganância suprimida
Dos dicionários com urgência.

A força feminina falou:
__ Lutar pela liberdade
É este o caminho.
Pregaremos a igualdade
Entre os povos a tolerância.
Educação desde a infância
Baseada no exemplo, na verdade.

A Vida, mesmo satisfeita,
Quis ouvir a Criança:
__ Dizem que somos o futuro.
Com proteção e segurança
E a salvos da exploração,
Com mais saúde e educação,
Daremos à Vida mais esperança.

Ao término do encontro
A Vida brilhava mais.
__ Se usarem com equilíbrio,
Disse ela __ os bens naturais,
Respeitando toda forma de vida
Posso passar despercebida
Mas não perecerei jamais.

Nesse instante, amigos
De repente, me vi só.
 Com o sonho ainda vivo
Antes que virasse pó
Vim contar, com a certeza:
Cuidar do outro e da natureza
É caminho pra uma Vida melhor.
 Rogério Trindade


CORDEL: ACORDANDO PARA A VIDA


Este é mais um sonho
Que trago para o papel
Antes que se fosse
Feito as nuvens no céu
E seus belos desenhos:
Apesar de tanto empenho
Passam como carrossel.

Mas vamos ao tal sonho,
Pode chamar de utopia
Embora belo no cordel,
Mas me trouxe alegria
Servindo-me de alento,
Coração era só tormento:
Esperava o fim dos dias.

De repente, me vejo,
Num sol estonteante,
Em deserto infernal,
E ali, logo mais adiante,
Feito anjo, um guri,
Olhos azuis feito rubis,
Rosto alegre e radiante.

Fiquei desconcertado.
Pensei até ser miragem:
Naquele cenário horrível
Ver tão bela imagem.
Apiedei-me da criança
Com olhar de esperança
Parecendo uma mensagem.

Temendo assustá-la,
Falei com voz terna:
__ Lamento, ó criança,
Meu jeito até paterno,
Mas só consigo expressar
Por você o meu penar
Em tempos tão modernos.

Chamou-me ela, então,
Para junto de um poço
Que pensei ser um oásis.
Foi sem muito esforço
Que nos vimos refletidos.
Como que abduzido
Mirei a água do fosso.

A fala tranquila do garoto
Veio quebrar o silêncio
Com seu jeito angelical.
Falou com muita paciência:
___ Você diz que lamenta
E vejo que te atormentas.
O porquê, me dê ciência.

Olhando o espelho d’água
Pus-me a lhe mostrar
As várias mazelas do mundo:
___ Olha ali: povos a guerrear
Alguns por intolerância
Outros por pura ganância.
A paz onde é que está?

___O preconceito, continuei,
Ainda se faz presente
Em todas as suas formas.
O amor anda meio ausente.
Não entendemos as diferenças
Seja de cor, sexo ou crença,
De paz, o mundo está carente.

___ A fome, olha ela ali,
Afligindo nossas crianças.
Desperdício e corrupção
Acabando com a esperança
De uma vida muito melhor
E o que é ainda pior
Aumentando as diferenças.

___ E ali, naquele canto
Poluição e destruição:
Florestas devastadas
Por todo tipo de ocupação.
A água ficando escassa
E animais, devido à caça,
Correndo risco de extinção.

___ Viu só por que me aflijo
Em pensar que mundo
Pra ti vamos deixar?
O problema é que no fundo
Sabíamos no que ia dar.
A vida não iria suportar
Ser empurrada pro submundo.

Parei e voltei a fitá-la
Como a lhe perguntar
Se já era o suficiente
Pois acabara de falar.
Fez sim com a cabeça
E, por incrível que pareça,
Vi seu rosto se iluminar.

___ Tudo que falou, senhor,
É a mais pura verdade,
Mas a vida ainda persiste
Apesar dessa calamidade
Que tão bem destacou.
Você não me chocou
Apesar da dramaticidade.

___ A sua visão, ela continuou,
É mesmo muito pessimista.
Não quero que tenhas pena:
Repare em nossas conquistas!
Os bons ainda são maioria,
Gente que age com sabedoria
Com boas ações a perder de vista.

___ Pra cada um destes problemas
Que você acabou de destacar
Há um grande batalhão do bem
Que nunca deixará de lutar
Para procurar resolvê-los:
Tratam a vida com muito zelo
Para na Terra ela prosperar.

___ Não podemos fechar os olhos
Para a guerra e a violência
Que ceifam muitas vidas
(Até eu tenho consciência),
Mas veja ali naquele canto:
Pessoas que com grande encanto
Pro bem usam a inteligência.

___ Quanto ao preconceito,
Também devo reconhecer
Respeitar as diferenças
Muitos não sabem fazer.
Mas veja o progresso
Que ações de sucesso
Já ajudaram a promover.

___ Quanto à fome e à poluição
Que trazem dor e agonia,
Por milhões de bravos heróis
São combatidas todo dia.
Os problemas existem sim,
(Nesse momento olhou pra mim)
Mas reclamar virou mania.

E ainda olhando pra mim:
___ Pare você de reclamar.
Se ponha logo a caminho
Para aos outros se juntar.
Junte-se a um dos batalhões
E transforme em ações
Tudo que tem pra falar.

___ Venha lutar pela vida!
Ainda há muito o que fazer.
Ajude a cuidar da vida
Reaja, faça acontecer.
Só depende de nós
E não estamos a sós,
Mas ainda falta você!

___ Cuidar da vida... VIDA...
Acordei assim do sonho
Pela manhã que nascia.
Olhar pela janela me ponho.
Quanta vida lá fora!
Vem, vamos embora,
Cuidar dela eu te proponho.
Rogério Trindade

CORDEL À MODA ZUZU


I
Vou contar pra vocês
Uma história singular:
Da mulher curvelana
Vocês vão se orgulhar.
Uma história de coragem,
Que no cordel vou encurtar.

II
Zuzu Angel aqui nasceu,
Nasceu para brilhar!
Encantava sua família
Seu jeito de costurar;
Não demorou o Brasil,
Sua moda encantar!

III
Dona de estilo próprio,
A estilista mineira,
Venceu preconceitos
E ultrapassou barreiras
Pra criar uma moda
Totalmente brasileira.

IV
Quebrou assim um tabu
Que a mulher diminuía.
Podia ela até costurar,
Criar moda não podia.
Com força e criatividade,
A marca do “anjo” crescia.

V
Pioneirismo e coragem:
Suas marcas registradas.
Da cidade maravilhosa
Sua arte foi exportada:
Encantou americanos
Tanta beleza retratada!

VI
Misturava formas e cores
À variedade de materiais.
Numa proposta original,
Usava temas regionais:
Algodão, seda e chita
Em criações especiais.

VII
Suas estampas alegres
Pregavam a liberdade.
Com borboletas coloridas
E pássaros estampados,
Elevaram o nome do Brasil
Zuzu e sua genialidade.

VIII
Ecologia e brasilidade
Numa moda pioneira:
Pedras, conchas e fibras,
Encontrou essa maneira
De vestir, não só a elite,
Mas toda mulher brasileira.

IX
Houve tempo tenebroso
Na vida desta estilista:
O filho, que era estudante,
Também era um ativista,
Desejava a revolução
O jovem socialista.

X
Stuart era o seu nome,
O regime era a ditadura
Que imperava no Brasil
Numa época muito dura.
Desapareceu o rapaz
Não antes da tortura.

XI
Pra militância materna
Zuzu Angel então partiu.
Queria o corpo do filho,
Mas isto ela não viu.
Denunciou mundo afora
A ditadura no Brasil.

XII
Sua moda virou arma,
Uma forma de denúncia.
Queria mostrar a verdade
Ante o terrível prenúncio:
O sistema a faria calar;
Dela não haveria renúncia.

 XIII
Ao lado de seus anjos,
Aves e sol engaiolados,
Cruzes, tanques de guerra
Nos tecidos estampados:
Incomodava os militares
Sua busca pela verdade.

XIV
Sua luta era sem fim,
Só a morte a fez parar.
Mas deixou uma lição
Que nos convém guardar:
Pelos nossos objetivos
Não desistamos de lutar!
 Rogério Trindade (A pedido da UMAC -  Forró de Curvelo)


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Peça teatral "Quem é o melhor no Trânsito?" (Teatro de fantoches)


CENÁRIO
TRÂNSITO COM SEMÁFORO. BARULHO DE CARROS, FREADAS E BATIDAS.
CARROS (CRIANÇAS) PASSAM VELOZMENTE PELA RUA SEM RESPEITAREM O SEMÁFORO (DOIS EM CADA DIREÇÃO). QUASE ATROPELAM UMA CRIANÇA QUE PASSA A PÉ NA FAIXA.
CRIANÇA (PARANDO): ___ O quê é isso? Vocês não sabem por onde andam não? Pensam que são os donos da rua?
OS CARROS TAMBÉM PARAM LADO A LADO. OS FANTOCHES APARECEM PELO VIDRO DOS CARROS.
MOTORISTA 1: ___ Ora, menina, e quem é você para falar assim com a gente? Não vê que és uma simples pedestre?
MOTORISTA 2: ___ É mesmo!!! Você precisa tomar mais cuidado e olhar por onde anda.
CRIANÇA: ___ Para o governo de vocês, eu estava atravessando na faixa de segurança. Ali eu posso atravessar a hora que eu quero!
MOTORISTA 3: ___ Quê isso, garota! De onde tirou essa ideia? A rua é dos carros. Pedestre tem que ter mais atenção. Não vê que os carros são mais importantes? Sem eles, o Brasil para.
CRIANÇA: ___ Em parte vocês têm razão. Sem os motoristas e seus veículos para transportar pessoas e produtos de um lugar para o outro, o nosso país para e ficaria pobre. Mas vocês sabiam que a maioria dos acidentes de trânsito é causada pela imprudência dos motoristas?
MOTORISTA 4: ___ Ei, a garota está certa! Nós, motoristas, juntamente com os motociclistas, somos os responsáveis pela bagunça em que se transformou o nosso trânsito.
CRIANÇA: ___ Está aí um motorista bem informado! E agora, quem tem razão?
MOTORISTA 1: ___ Mesmo assim vocês perderam: somos 3 contra 2. Então, continuamos com a razão.
CRIANÇA: ___ É... estou vendo que com esta discussão não chegaremos a lugar nenhum. Vejam... lá vem vindo uma fada madrinha!!! Quem sabe ela pode nos dizer quem tem razão!
(APARECE A FADA MADRINHA.)
FADA MADRINHA: ___ Olá, meus amigos!!! Percebo que estão com algum problema. Será que posso ajuda-los?
CRIANÇA: ___ Mas é claro, Fada Madrinha!!! Basta dizer a estes senhores que no trânsito o pedestre sempre tem razão.
FADA MADRINHA: ___ Espera aí, criança! Não sou uma fada especialista em trânsito, mas acho que não é bem assim.
MOTORISTAS 1, 2 E 3 (JUNTOS): ___ Tá vendo?! Não dissemos que a razão estava com a gente.
FADA MADRINHA (NA DÚVIDA): ___ Também não sei... O trânsito não é nenhum conto de fada. Por isso, seus problemas não podem ser resolvidos com uma varinha de condão. Deixa eu pensar... (PARA PARA PENSAR). Vejam só que sorte a nossa !!! Estão chegando três amigos e acho que eles poderão nos ajudar.
(APARECEM O GUARDA, O SEMAFORILDO E SEMAFORILDA)
GUARDA: ___ Algum problema por aqui, pessoal? Podemos ajuda-los?
MOTORISTA 2: ___ É essa garotinha, seu Guarda. Ela não está preparada para enfrentar o trânsito. Imagine que ela pensar que por ser uma pedestre tem mais direitos que os motoristas.
GUARDA: ___ É... ela está mesmo errada!
MOTORISTA 4: ___ Pois estes senhores também pensam que são os mais importantes no trânsito só porque estão motorizados.
GUARDA: ___ Pois eles também estão errados!
TODOS: ___ Uai, então quem está certo aqui?! Quem é mais importante no trânsito?
SEMAFORILDO: ___ Isto é fácil. No trânsito, ninguém é mais importante que o outro. O mais importante é a VIDA.
SEMAFORILDA: ___ O que mais importa seja para o pedestre, motorista, motociclista ou ciclista, é ir e vir com segurança. Para isso, é preciso respeitar as regras.
MOTORISTA 3: ___ Mas eu respeito regras. Aliás, são os outros que não respeitam as regras que criei.
GUARDA: ___ Meu amigo, o trânsito não é uma luta de vale-tudo. Você não pode criar suas próprias regras de circulação porque os outros podem não conhecê-las e criar suas próprias regras também.
CRIANÇA: ___ O que fazer então? Eu também pensava que cada um de nós deveria seguir suas próprias regras.
FADA MADRINHA: ___ Essa eu sei!!! Todo mundo deve seguir as regras que estão no nosso Código de Trânsito.
GUARDA: ___ Você está certa, Fada Madrinha! No Código de Trânsito Brasileiro estão as regras comuns a todos os sujeitos que participam do trânsito: o motorista, o pedestre, o guarda, o motociclista, o ciclista, o carroceiro... quer dizer, todo mundo.
SEMAFORILDO: ___ Isto quer dizer que  são leis que devem ser obedecidas por todos, da criança ao idoso, do pedestre ao motorista. Respeitar as leis de trânsito é obrigação de todos os envolvidos.
SEMAFORILDA: ___ Conviver bem no trânsito não tem nenhum segredo. Só é preciso atenção, obediência às leis e respeito ao outro.
TODOS: ___ Xiiiiiiiiiiii, Fada Madrinha! Estávamos todos errados! É mesmo muito simples. Será que você poderia fazer com que a gente esqueça tudo de errado que fazíamos no trânsito?
FADA MADRINHA: ___ Ah... isso eu posso fazer. Mas não se esqueçam de uma coisa: no trânsito, não existe vara de condão, é preciso respeito e muita atenção. Vamos lá! Preparados? Sim... salabim... pó de pirlimpimpim... toda a sabedoria cresça em mim.
TODOS CANTAM:
Se essa cidade, se essa cidade
É mesmo minha
Vou mandar
Vou mandar todos respeitar
Os sinais
E as leis de trânsito
Para a vida
Para a vida preservar.

Nesta cidade, nesta cidade
Tem pessoas
Que precisam
Que precisam transitar
Dentro dela
Dentro dela estamos nós
Que queremos
Que queremos ajudar.

Se eu ajudo
Se eu ajudo e você também
Nosso trânsito
Nosso trânsito vai melhorar
Vem pra luta
Vem pra luta você também
Para outros
Para outros conscientizar.