sexta-feira, 17 de junho de 2011

Luta pelo Piso em MG: a luta continua

Ei, Governador me dá meu Piso aí!

Professores de MG continuam em greve

Nesta quinta-feira, dia 16 de junho, milhares de educadores lotaram o pátio da Assembleia Legislativa e decidiram pela manutenção da greve que teve início no último dia 8. A principal reivindicação é o pagamento pelo Governo do Estado do Piso Salarial Nacional. A forma de remuneração instituída pelo governador Anastasia, o subsídio de R$ 1320,00, não atende às reinvindicações da categoria, pois "engole" todas as gratificações dos trabalhadores conseguidas após anos de trabalho duro. O governo estadual tenta se esquivar da responsabilidade e enganar a população ao dizer que paga mai que o Piso Nacional. Se assim o fosse, por que ele ainda não voltou à forma de pagamento anterior os educadores que já fizeram o requerimento conforme a Lei? Porque assim ficaria evidente que ele não aplica a Lei do Piso. Assim... a greve continua por tempo indeterminado. Vamos fortalecer a luta!

domingo, 5 de junho de 2011

Amanda Gurgel - Greve de professores MG 2011 - MEL CSP-Conlutas - PSTU

Anastasia vai enfrentar mais uma greve!



Será a segunda, desde que ele se tornou governador, uma vez que no ano passado assumiu o governo de Minas no lugar de seu antecessor e padrinho Aécio. Em 2010, a Educação mineira enfrentou uma das maiores greves de que se tem história. Foram mais de 45 dias sem aula. Agora, em 2011, os professores vêm novamente exigir que o governo pague o Piso Salarial da categoria estipulado pelo governo federal em 1187 reais. Anastasia diz que já paga o piso uma vez que instituiu no início deste ano o famigerado subsídio de 1320 reais, subtraindo literalmente todos os direitos adquiridos dos profissionais da educação. Para compor tal parcela, o subsídio, ele incorporou a ele quinquênios, biênios e toda sorte de gratificações que foram conquistadas pelos trabalhadores após anos de luta. Agora terá de enfrentar mais uma greve que se inicia no dia 8 de junho. Mais uma vez, o povo mineiro, em especial os alunos, serão prejudicados pela falta de vontade de seus representantes.