segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

CORDEL À MODA ZUZU


I
Vou contar pra vocês
Uma história singular:
Da mulher curvelana
Vocês vão se orgulhar.
Uma história de coragem,
Que no cordel vou encurtar.

II
Zuzu Angel aqui nasceu,
Nasceu para brilhar!
Encantava sua família
Seu jeito de costurar;
Não demorou o Brasil,
Sua moda encantar!

III
Dona de estilo próprio,
A estilista mineira,
Venceu preconceitos
E ultrapassou barreiras
Pra criar uma moda
Totalmente brasileira.

IV
Quebrou assim um tabu
Que a mulher diminuía.
Podia ela até costurar,
Criar moda não podia.
Com força e criatividade,
A marca do “anjo” crescia.

V
Pioneirismo e coragem:
Suas marcas registradas.
Da cidade maravilhosa
Sua arte foi exportada:
Encantou americanos
Tanta beleza retratada!

VI
Misturava formas e cores
À variedade de materiais.
Numa proposta original,
Usava temas regionais:
Algodão, seda e chita
Em criações especiais.

VII
Suas estampas alegres
Pregavam a liberdade.
Com borboletas coloridas
E pássaros estampados,
Elevaram o nome do Brasil
Zuzu e sua genialidade.

VIII
Ecologia e brasilidade
Numa moda pioneira:
Pedras, conchas e fibras,
Encontrou essa maneira
De vestir, não só a elite,
Mas toda mulher brasileira.

IX
Houve tempo tenebroso
Na vida desta estilista:
O filho, que era estudante,
Também era um ativista,
Desejava a revolução
O jovem socialista.

X
Stuart era o seu nome,
O regime era a ditadura
Que imperava no Brasil
Numa época muito dura.
Desapareceu o rapaz
Não antes da tortura.

XI
Pra militância materna
Zuzu Angel então partiu.
Queria o corpo do filho,
Mas isto ela não viu.
Denunciou mundo afora
A ditadura no Brasil.

XII
Sua moda virou arma,
Uma forma de denúncia.
Queria mostrar a verdade
Ante o terrível prenúncio:
O sistema a faria calar;
Dela não haveria renúncia.

 XIII
Ao lado de seus anjos,
Aves e sol engaiolados,
Cruzes, tanques de guerra
Nos tecidos estampados:
Incomodava os militares
Sua busca pela verdade.

XIV
Sua luta era sem fim,
Só a morte a fez parar.
Mas deixou uma lição
Que nos convém guardar:
Pelos nossos objetivos
Não desistamos de lutar!
 Rogério Trindade (A pedido da UMAC -  Forró de Curvelo)


Nenhum comentário:

Postar um comentário